Sukeji Shibayamaa

A prática do verdadeiro judô se dá quando há Respeito ao adversário e Espírito de Paz.

O respeito ao adversário é consequência do reconhecimento do ser perfeito que nele habita. Graças a ele, o adversário, podemos aprimorar o nosso judô.

O espírito de paz, de não agressão, de não violência, é necessário para o desenvolvimento e compreensão das técnicas de judô. Paz no espírito significa um espírito sem ódio, sem temor que são máculas passageiras que nos induzem ao erro.

Por que surgem o ódio, o rancor, a inveja e o egoísmo?

Surgem do medo, da consciência da fraqueza do homem, da ignorância do homem ao esquecer que é um ser perfeito de origem divina, surgem porque o homem se esquece que Deus está em seu coração e olha por ele.

Aquele que tem Deus em seu coração, é forte e praticará o bom judô, pois tem a vida de Deus e é por ele vivificado.

O ódio, o rancor, a violência, o medo, o egoísmo e o pecado, são as ditas crenças errôneas. O odioso, o rancoroso, o violento, o medroso, e o egoísta, são pessoas que vivem na ilusão, nas trevas, não sabem que dentro de si habita a natureza superior, mas sim as fraquezas terrenas.

Fazer despertar e exteriorizar essa natureza é o método e o objetivo da associação Kenshin.